Sábado, 27 de Fevereiro de 2010

Vem aí o Vivaci...

 
 
 
para ajudar o Comércio Tradicional de Beja”.
Esta afirmação pertence ao nosso presidente JPV e foi proferida ontem na Assembleia Municipal.
Aguardam-se as manifestações de regozijo dos nossos comerciantes.
publicado por bejahoje às 07:47
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

O mau tempo continua...

mesmo assim muitos continuam a não querer ver o Sol.

Não se arranja um planozinho para acabar com este Jornal?

 

 

 

publicado por bejahoje às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Beja pode transformar-se na Capital… do Reino Unido

 

É isso mesmo, acabadinho de regressar de Londres JPV afirmou convicto que Beja pode muito bem num futuro próximo vir também a ser Capital da velha Albion.
A apresentação dos pilares que JPV foi fazer a Londres mereceu grandes elogios por parte da dos especialistas Londrinos que realçaram as grandes similitudes existentes entre Beja e Londres, nomeadamente ao nível do transito, do clima e principalmente da semelhança entre o Tamisa e o nosso Barranco do Poço dos Frangos.
JPV não quis responder às acusações que davam conta que esta deslocação a Londres tinha como objectivo estrear o Cartão de Crédito da CM Beja, afirmando que o facto de na sua presidência em Mértola ter dado 3 vezes a volta ao mundo não quer dizer que em Beja vá fazer o mesmo.
publicado por bejahoje às 07:02
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

Ruínas arruinadas?

 

Foram consideradas pelos especialistas como as mais importantes descobertas arqueológicas registadas na cidade de Beja e umas das mais importantes no país, referente ao período Romano.
O anterior executivo municipal pôs em curso um projecto que previa a sua valorização.
O actual estado de total abandono, as derrocadas já verificadas e os prejuízos já causados (como mostram as imagens) põem em risco um património de valor incalculável.
Quem lhe acode? Quem nos acode?  
publicado por bejahoje às 07:01
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

Vieram…

 
Primeiro acabaram com a Semana de Música para o Natal.
Não me importei, eu até não sou católico.
Depois acabaram com a Festa de Passagem de Ano.
Também não me importei, eu vou sempre passar o ano ao Algarve.
Decidiram não fazer os Campos relvados em Beringel e Salvada.
Quero lá saber eu moro em Beja.
Mais tarde não se importaram que terminasse a Volta ao Alentejo.
E eu com isso, o que eu gosto é de futebol.
Agora termina o Festival Internacional de Cinema Digital “Animatu”.
Não faz mal, a minha preferência é teatro.
Deixaram de realizar a…
Será que me vou importar!?...
publicado por bejahoje às 07:19
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Domingo, 21 de Fevereiro de 2010

Beja (menos) Capital

A Associação Zootrópio anunciou oficialmente o cancelamento da sétima edição do Animatu, previsto para Outubro de 2010, devido à falta de apoios oficiais.

 
 O Animatu – Festival Internacional de Cinema de Animação Digital, realizado desde 2004, na cidade de Beja, procurava descentralizar os eventos culturais e trazer para uma cidade do interior sul, capital de distrito, um festival de cinema, e com ele o que de melhor se produz no Cinema de Animação Digital, quer a nível nacional, quer internacional.
 
Até quando é que vamos continuar a perder  eventos?
publicado por bejahoje às 11:53
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 20 de Fevereiro de 2010

Ontem como hoje...

 

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio,
fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora,
aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias,
sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice,
pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas;
um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai;
um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom,
e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que
um lampejo misterioso da alma nacional,
reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.
 
Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula,
não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha,
sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima,
descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas,
capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação,
da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.
 
Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo;
este criado de quarto do moderador; e este, finalmente,
tornado absoluto pela abdicação unânime do País.
 
A justiça ao arbítrio da Política,
torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
 
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções,
incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos,
iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero,
e não se malgando e fundindo, apesar disso,
pela razão que alguém deu no parlamento,
de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar."
Guerra Junqueiro, 1896.
publicado por bejahoje às 23:34
link do post | comentar | favorito

Eleições no PSD

publicado por bejahoje às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Os Pilares

 

Um trabalho publicado ontem no Diário de Noticias dava conta que cidades como Beja podem no futuro desaparecer.
O presidente da Câmara de Beja acha que a “cidade não está em perigo de extinção”, mas reconheceu, que o crescimento de Beja, faz-se “à custa das suas freguesias e concelhos vizinhos” e que “o despovoamento do interior abre caminho a uma situação de insustentabilidade a curto prazo”.
Então os pilares da Beja Capital não eram para combater esta insustentabilidade da cidade e do concelho?
publicado por bejahoje às 07:55
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

O Candidato?

Fernando Nobre, ao que tudo indica, apresenta amanhã a sua candidatura à Presidência da Republica. Esperamos que a partir de agora, posições como esta que tomou no III Congresso Nacional de Economistas tenham outra visibilidade na Comunicação Social.

A revolta do Presidente da AMI

 

O presidente da AMI, Fernando Nobre, criticou hoje a posição das associações patronais que se têm manifestado contra aumentos no salário mínimo nacional. Na sua intervenção no III Congresso Nacional de Economistas, Nobre considerou "completamente intolerável" que exista quem viva "com pensões de 300 ou menos euros por mês", e questionou toda a plateia se "acham que algum de nós viveria com 450 euros por mês?"
Numa intervenção que arrancou aplausos aos vários economistas presentes, Fernando Nobre disse que não podia tolerar "que exista quem viva com 450 euros por mês", apontando que se sente envergonhado com "as nossas reformas".
"Os números dizem 18% de pobres... Não me venham com isso. Não entram nestes números quem recebe os subsídios de inserção, complementos de reforça e outros. Garanto que em Portugal temos uma pobreza estruturada acima dos 40%, é outra coisa que me envergonha..." disse ainda.
"Quando oiço o patronato a dizer que o salário mínimo não pode subir.... algum de nós viveria com 450 euros por mês? Há que redistribuir, diminuir as diferenças. Há 100 jovens licenciados a sair do país por mês, enfrentamos uma nova onda emigratória que é tabu falar. Muitos jovens perderam a esperança e estão à procura de novos horizontes... e com razão", salientou Fernando Nobre.
 
O presidente da AMI, visivelmente emocionado com o apelo que tenta lançar aos economistas presentes no Funchal, pediu mesmo que "pensem mais do que dois minutos em tudo isto". Para Fernando Nobre "não é justo que alguém chegue à sua empresa e duplique o seu próprio salário ao mesmo tempo que faz uma redução de pessoal. Nada mais vai ficar na mesma", criticou, garantindo que a sociedade "não vai aceitar que tudo fique na mesma".
No final da sua intervenção, Fernando Nobre apontou baterias a uma pequena parte da plateia, composta por jovens estudantes, citando para isso Sophia de Mello Breyner. "Nada é mais triste que um ser humano mais acomodado", citou, virando-se depois para os jovens e desafiando-os: "Não se deixem acomodar. Sejam críticos, exigentes. A vossa geração será a primeira com menos do que os vossos pais".
Fernando Nobre ainda atacou todos aqueles que "acumulam reformas que podem chegar aos 20 mil euros quanto outros vivem com pensões de 130, 150 ou 200 euros... Não é um Estado viável! Sejamos mais humanos, inteligentes e sensíveis".
publicado por bejahoje às 11:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

»Contacto

bejahoje@sapo.pt

»mais sobre mim


» ver perfil

» seguir perfil

. 3 seguidores

»pesquisar

»Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

»posts recentes

» Regresso para breve, ou t...

» A Piscina de Beja

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Enxurrada em Beja...

» Beja Capital das contas c...

» Porque o dia 5 de Junho e...

»arquivos

» Agosto 2011

» Junho 2011

» Maio 2011

» Abril 2011

» Março 2011

» Fevereiro 2011

» Janeiro 2011

» Dezembro 2010

» Novembro 2010

» Outubro 2010

» Setembro 2010

» Agosto 2010

» Julho 2010

» Junho 2010

» Maio 2010

» Abril 2010

» Março 2010

» Fevereiro 2010

» Janeiro 2010

blogs SAPO

»subscrever feeds