Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Os Pilares

 

Um trabalho publicado ontem no Diário de Noticias dava conta que cidades como Beja podem no futuro desaparecer.
O presidente da Câmara de Beja acha que a “cidade não está em perigo de extinção”, mas reconheceu, que o crescimento de Beja, faz-se “à custa das suas freguesias e concelhos vizinhos” e que “o despovoamento do interior abre caminho a uma situação de insustentabilidade a curto prazo”.
Então os pilares da Beja Capital não eram para combater esta insustentabilidade da cidade e do concelho?
publicado por bejahoje às 07:55
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Hugo Carulo a 19 de Fevereiro de 2010 às 10:34
Caricata é a pergunta, ora vejamos. Depois da inércia e estagnação de 35 anos perpetuados pelos “Camaradas”, é no mínimo inacreditável que em 4 meses de PS se reivindique o cumprimento de um projecto com princípio, meio e fim. De sorte, que aqueles ao poder não voltarão tão cedo.
Não sejam demagogos, por que de demagogia ficou a cidade de Beja empanturra. Dêem tempo ao tempo, pois daqui a quatro anos (eleições), todos faremos um juízo de valor cuja conformação à soma dos factos deve atender.
De Amigo a 19 de Fevereiro de 2010 às 12:51
Obviamente que não podemos exigir aos eleitos Socialistas que as coisas apareçam imediatamente mas...

depois de uma notícia destas a postura do Presidente da Câmara tem que ser mais activa!

Quanto à Estagnação devido aos 35 anos de governação PCP aliado a outras forças, em Beja, isso não pode nem deve ser posto em causa! O antigo executivo criou 16 estágios e durante este executivo eles desapareceram... Ora um dos pilares da Beja Capital era a fixação dos jovens e o Sr. Presidente não ajuda estes desgraçados? Eles assim vão ter que sair de Beja...

Bem pensem nisto. Autor do blog obrigado por divulgar tão ilustres temas.
De Anónimo a 19 de Fevereiro de 2010 às 13:54
Pois caríssimos mas o que é certo é que pressa do novo presidente foi a de APAGAR por completo esses 35 anos de história, alguma comichão lá lhe deviam fazer...
Senão como é que se explica que as vitrines do pátio da Câmara, carregadas de objectos que atestavam as relações da cidade com outras paragens, prémios de reconhecimentos pelos mais variados eventos, geminações, enfim, a HISTÒRIA desta cidade, tenha sido tudo encaixotado e varrido da vista da população?????? Tiraram tudo, mandam os carregadores despachar os armários e aquele património que é NOSSO foi para onde???
Será receio de não estar à altura de tantos acontecimentos importantes e de todos aquels testemunhos de sucesso numa gestão da CDU lhes fazerem sombra?
De Paula Bobone a 19 de Fevereiro de 2010 às 13:57
LOL!!!!!!!!
Não pá isso foi a nova decoradora que mandou...
De Guerreiro a 20 de Fevereiro de 2010 às 15:33
Como parece óbvio, o despovoamento ou desertificação do interior ou do Alentejo, ou de Beja, não passa por responsabilidades autarquicas, sejam quais forem as cores que têm.
Estes são problemas de fundo, que tem a ver com políticas e investimentos centrais e privados que ao longo de décadas foram erradas e os principais responsáveis são os partidos no governo (PS, PSD e CDS).
Ainda assim e segundo últimos indicadores, o Concelho de Beja foi o que maior crescimento demográfico têve e não foi á conta das freguesias rurais. Quase todos os restantes Concelhos regrediram demográficamente.
Sejamos sérios!
De Márcio a 21 de Fevereiro de 2010 às 12:16
Este que foi um tema tão badalado em alguns blogs!!

A Cultura em Beja....

"São recorrentes as vozes que se queixam da actividade cultural na cidade de Beja. Amiude também a minha voz fez essas com coro, deixando escapar lamentos sobre a qualidade ea diversidade da oferta, insinuando falhas na divulgação dos eventos".

In: http://ireflexoes.blogspot.com/2008/06/oferta-cultural-bejense.html

Não poderia estar de mais acordo com o autor do viagra e prozac após saber hoje que a edição de 2010 do Animatu – Festival Internacional de Cinema de Animação Digital - que se realiza em Beja, desde 2004, não se vai realizar devido à falta de apoios oficiais, anunciou a Organização.

O Animatu é um festival de Cinema de Animação dedicado às artes digitais.
Contemplava uma competição de Curtas-metragens, com categorias abertas apenas a escolas portuguesas, Formações, Conversas, entre outras actividades, tudo isto num ambiente acolhedor.
As excelentes infra-estruturas do Pax Julia e a proximidade dos vários locais - estadias, formações, etc -, eram algumas das vantagens para os visitantes.

Este festival trazia á nossa cidade jovens estudantes em animação digital, pessoas singulares amantes deste tipo de cinema, envolvia as escolas da nossa cidade, o IPB, e um sem número de voluntários. Dinamizava o centro histórico, favorecia e dinamizava a economia social da nossa cidade.
Acima de tudo era uma iniciativa organizada por uma estrutura associativa de seu nome Zootrópio, dirigida pelo Marco Taylor que com muito esforço lá ia procuarando trazer até ao nosso Alentejo o único festival de cinema digital e um dos poucos do pais.

É sabido que o movimento associativo popular é a estrutura emergente de dinamização cultural, recreativa, desportiva e artistica de qualquer sociedade.

As componentes do Movimento Associativo Popular praticam activamente a democracia em dois sentidos, desde logo no seu interior e na comunidade onde estão inseridos, criando condições de fácil acesso à cultura, ao desporto e ao lazer.

A forma mais fácil para acabar com esta democracia cultural é acabar com os apoios ás estruturas que voluntariamente e benevolamente trabalham em prol da comunidade, mas igualmente a mais tenebrosa e injustificada.

Para terminar, muito brevemente, o presente e o futuro:

Com a globalização e com a política neo-liberal que está a ser seguida cada vez mais acentuadamente e que leva a “menos Estado, melhor Estado”, com o consequente abandono das áreas sócio-culturais, a designada “sociedade civil”, da qual faz parte o associativismo, terá uma forte palavra a dizer.
Neste contexto, facilmente se compreende que ainda é nas associações que:
- Se pode exprimir a solidariedade;
- Se podem experimentar novas respostas, sendo importante factor de transformação e inovação social;
- Se pode elaborar e concretizar um projecto comum, de carácter colectivo e de raiz social;
- O trabalho voluntário e benévolo é estruturante da economia social;
- Se assume o exercício da democracia, conduzindo a uma efectiva cidadania;
- Se exprime a definição de identidade local e expressão cultural.

Tenho poucas dúvidas pelo que me vou apercebendo nas estruturas que conheço e visito no concelho que as associações da mais variada indole serão um dos Pilares do Beja Capital. A ver vamos como dizia o outro...
De Bruna Castro a 17 de Dezembro de 2010 às 11:33
Por amor de Deus, acabem lá com essas politiquices todas. Ponham o raio de uma pedra em cima do passado e vamos fazer alguma coisa pela nossa cidade. Afinal a água que ja passou no rio não faz mover o moinho.

Comentar post

»Contacto

bejahoje@sapo.pt

»mais sobre mim

»pesquisar

»Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

»posts recentes

» Regresso para breve, ou t...

» A Piscina de Beja

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Coisas que se resolveram*...

» Enxurrada em Beja...

» Beja Capital das contas c...

» Porque o dia 5 de Junho e...

»arquivos

» Agosto 2011

» Junho 2011

» Maio 2011

» Abril 2011

» Março 2011

» Fevereiro 2011

» Janeiro 2011

» Dezembro 2010

» Novembro 2010

» Outubro 2010

» Setembro 2010

» Agosto 2010

» Julho 2010

» Junho 2010

» Maio 2010

» Abril 2010

» Março 2010

» Fevereiro 2010

» Janeiro 2010

blogs SAPO

»subscrever feeds